CONHEÇA ESTA ZONA: as lojas, os serviços, os restaurantes, os imóveis à venda... (do lado direito), o que aqui se passa (nos posts)

.contacte-nos

.posts recentes

. Metro de Arroios - pára o...

. Universidade Intergeracio...

. Aromas e Temperos - Brasi...

. Os melhores pastéis de na...

. Livraria Leituria - Este...

. Espiral - programação

. Centro de yoga - Áshrama ...

. Aulas de guitarra, canto,...

. É uma cafetaria? Um resta...

. Uma breve história sobre ...

. Nova livraria na Rua D. E...

. Jardim Constantino e a te...

. Clube do Optimismo - Work...

. Câmara de Lisboa recusa-s...

. Assembleia Distrital de L...

. Equipa de rua inicia cont...

. Academia Sakura - yoga - ...

. Festas - tudo para

. Equillibrium Therapy Zen ...

. Biblioteca da Assembleia...

. Oeiras propõe que patrimó...

. Atividades para crianças

. Concerto| Espaço APAV & C...

. Aulas de guitarra clássic...

. Aulas Dança Oriental

. Espiral - entregas de eme...

. Loja Kombina - bicicletas...

. Padaria LOW-COST.COME abr...

. Nova loja de biquinis - F...

. Sacoor Bothers Outlet - s...

. Lojas de mobiliário - OO...

. Exposição na Assembleia D...

. Fábrica de Bolos - pela n...

. O Constantino do Jardim

. Aluguer de bicicletas - L...

. Aulas de Tai Chi e Chi Ku...

. Cinema no Saldanha Reside...

. WORKSHOPs

. Esquadra de Arroios vai f...

. Clube do Optimismo - Work...

.pesquisar

 
Sexta-feira, 23 de Maio de 2014

O Constantino do Jardim

Sabia que o “Rei dos Floristas” é português? As ruas de Torre de Moncorvo já estão engalanadas para as festas.

Torre de Moncorvo presta homenagem ao rei dos floristas Constantino José Marques de Sampaio e Melo nasceu em Torre de Moncorvo e foi embaixador de Portugal no mundo, através dos seus arranjos florais artificiais. As suas imitações dificilmente se distinguiam das flores naturais. É homenageado, este mês, na sua terra natal. Até ao final de Maio, a vila de Torre de Moncorvo, no distrito de Bragança, presta homenagem a Constantino (1802-1873), um filho da terra considerado o primeiro emigrante de sucesso, que encantou algumas cortes europeias com as suas flores artificiais. Relatos históricos dão conta de que Constantino José Marques de Sampaio e Melo imitava de forma peculiar as flores naturais, tendo-se consagrado em Paris como produtor de flores artificiais, na Exposição da Indústria de 1844. “Nessa exposição ganhou o título de 'Rei dos Floristas' porque as pessoas não conseguiam distinguir quais eram as flores fabricadas por ele e quais naturais”, conta à Renascença o presidente da Câmara de Torre de Moncorvo, Nuno Gonçalves. Para homenagear Constantino, que em criança foi abandonado pela mãe na antiga "casa da roda" da vila, o centro histórico da vila de Torre de Moncorvo já se encontra “decorado a rigor” com diversos e variados arranjos florais em papel. Do programa de comemorações consta a recriação histórica da vida de Constantino, um colóquio sobre o artista e ateliers de flores nos vários largos da vila, bem como um mercado de flores e visitas guiadas à Igreja da Misericórdia, onde ainda se conserva um ramo de flores feito pelo "Rei". As principais celebrações decorrem entre 23 a 25 de Maio com organização da autarquia de Torre de Moncorvo. “Empresário de sucesso” e “embaixador de Portugal no mundo” no séc. XIX Constantino é considerado o primeiro “empresário de sucesso” do concelho de Torre de Moncorvo. No centro de Paris instalou uma fábrica e percorreu “uma boa parte do mundo” onde, com a sua mestria e arte, continuou a fazer os seus arranjos florais e a transmitir os seus conhecimentos em diversos países. Constantino foi “um embaixador de Portugal no mundo”, diz o autarca de Torre de Moncorvo, na medida em que “começou por ser o grande estilista na cidade dos estilistas e na cidade da luz” e prestou “serviços florais em várias cortes do mundo”. Em Portugal, Constantino foi recebido pela Rainha D. Maria II, a quem ofereceu algumas das suas flores. Mas não foi só a corte portuguesa que se rendeu aos arranjos de Constantino. Também a corte francesa, a dos Estados Unidos e a russa ficaram fãs das tiaras e bouquets que o português lhes terá oferecido, em meados do século XIX. "Constantino teve sempre vontade de regressar a Torre de Moncorvo, o que não veio a acontecer, tendo apenas enviado uma tiara de flores para o casamento da rainha Maria II, vindo a falecer em Paris", conta o autarca. Além de uma rua com o seu nome na vila de Torre de Moncorvo, o nome do florista ficou registado em Lisboa, na denominação dada a um jardim público, o Jardim Constantino, na zona da Estefânia, próximo da Avenida Almirante Reis. Em Paris há também uma rua que lhe é dedicada.

fonte: http://rr.sapo.pt/informacao_detalhe.aspx?fid=25&did=149477

publicado por projardimconstantino às 22:03
link do post | comentar | favorito
|

.SOBRE A ZONA

.subscrever feeds